sábado, 26 de julho de 2014

Os motivos pelos quais odeio Cinquenta Tons de Cinza.


   O pior livro do século... Até agora!


 
   Recentemente em meu Facebook critiquei o fato de estar sendo levada a cabo uma adaptação de Cinquenta Tons de Machismo, quer dizer... Submissão... Perdão... Cinza. Alguns disseram que estava sendo injusto, realmente fui injusto ao atualizar um status chamando Cinquenta Tons de Cinza de "Pedaço pútrido de suposta literatura" sem os devidos argumentos. Pois bem, ai vão os argumentos.

A capa de Cinquenta Tons de Liberdade
é bem condizente com o clima da Trilogia

    Para começar, falarei da coisa que mais me faz debochar desse livro, a construção da personagem principal, Anastasia Steele, que é surreal de tão insegura. NINGUÉM É TÃO INSEGURA ASSIM! A personagem cai de nervosismo mais de uma vez, é construída de forma superficial e simplesmente não se impõe no relacionamento, a típica protagonista de filmes pornográficos heterossexuais. E o famoso Christian Grey me dá medo, MUITO MEDO! O cara é um psicopata, perseguidor e sadomasoquista que faz Anastasia assinar um contrato assegurando que viria dar para ele sempre que ELE quisesse. Christian não respeita a sua par e a trata como lixo, como uma propriedade. Não sei o que as mulheres que leem essa coisa veem nesse cara.
     O livro é inacreditavelmente fora da realidade, coisa digna de industria pornográfica mesmo! Ok, se você gosta de pornografia leia esse livro! Mas a parte preocupante é que mulheres acham Anastasia um exemplo, querem um cara como Christian Grey (Um medonho rico que, por ser rico, acha que tem controle sobre tudo), garotas adolescentes leem esse livro que NÃO DEVERIA estar em lugares visíveis das livrarias e definitivamente NÃO DEVERIA estar disponível por formas legais a estas adolescentes.
   Se Cinquenta Tons de Cinza fosse concebido originalmente como um filme, não como um livro, jamais estaria disponível para menores de dezoito anos (Meninos e meninas). Mas a adaptação que está vindo ai foi feita em vista do sucesso do livro e os produtores (Gênios em alguns momentos e Jênios em outros) tentarão maquiar algumas coisas para ampliar o público e o filme conseguirá no mínimo uma classificação 16 anos (Se não conseguirem baixar para 14).
   É triste ver um livro que mostra apenas a Submissão sexual da mulher ser tratado como mostra da liberação sexual feminina. Quando vejo mulheres comentando isso, me pergunto se elas realmente sabem do que estão falando.
    É triste ver também que Cinquenta Tons é um dos livros Britânicos mais vendidos de todos os tempos, superando clássicos como Grandes Esperanças, do imortal Charles Dickens. É triste ver também que a sua autora, E L James, é uma das mulheres mais influentes do mundo pregando a submissão feminina disfarçada. 
   Enfim, se você gosta de pornografia leia Cinquenta Tons de Cinza, mas se você é pai ou mãe NÃO DEIXE seu filho ou filha menor de idade ler esse livro. E quem ler Cinquenta Tons lembre-se de que isso é pornografia, não queiram um Christian Grey, pois imagino que poucas mulheres iriam querer um Kid Bengala, e NÃO SEJAM uma Anastasia, pessoas como a Anastasia  seriam umas chatas se existissem, mas seriam um prato cheio para maridos espancadores, e  eu (Pelo menos) odeio homens que tem mulheres como propriedade.




3 comentários:

  1. Não concordo com o que você disse. Sim, uma mulher pode ser tão insegura como Anastácia Steele foi (e para falar a verdade, vi muito de meus próprios receios nela). É verdade que o Christian é um perseguidor, mas isso foi reflexo dos muitos traumas de infância/adolescência que ele teve (tanto que ele fala "É difícil viver em uma família perfeita quando se é imperfeito) e se quer saber, ele conseguiu melhorar bastante essa mania de controle no final da história.
    Fora que não acho o sadomasoquismo uma doença, está mais para uma maneira de se buscar o prazer. Não só seu próprio como (principalmente, acho) do parceiro(a).
    Talvez você deva ter reparado que, em nenhum momento da história, a Ana chegou a assinar o tal contrato. Ele foi apresentado a ela, é verdade, mas acho que ela é do tipo de pessoa que entende melhor certas coisas quando as vê por escrito. Ao ler, entender e questionar o contrato (coisa que ela fez bastante), ela conheceu até onde aquela coisa toda de dominação poderia chegar.
    Talvez você também devesse reparar que, no livro final da trilogia (que estava mais para um romance policial do que um romance pornográfico), a Ana se mostra tão no controle de si e das situações que se desenrolaram quando o Christian, talvez até mais que ele.
    E sobre a imagem escolhida, em nenhum momento a Ana aceitou os presentes de bom grado, tanto é que quando o Christian a questionou sobre o motivo de ela ser tão relutante em aceitar que ele gastasse seu dinheiro com ela, ela manifestou o receio de ser tratada como um prostituta, e de se sentir como uma. Se não me falha a memória, todos os presentes que vieram depois disso mostravam um significado maior, uma lembrança de algum momento DOS DOIS ou alguma coisa que remetesse a que eles sentiam um pelo outro.
    Acho sim que o livro fala muito de libertação feminina. A Ana aprendeu sobre o que ela gostava ou não durante o sexo, e de uma mulher tímida e insegura, ela passou a ser uma mulher autoconfiante e segura de si, e não foi graças ao dinheiro do Christian.
    Muitas pessoas pegaram o gosto pela leitura com a trilogia Cinquenta Tons. Muito mais do que com um grande clássico da literatura mundial. Não estou dizendo que os clássicos não possuem mais espaço, longe de mim dizer isso, mas vamos falar a verdade, a linguagem que eles usam é, por muitas vezes desmotivante. Não se pode pedir que alguém que nunca leu nada na vida pegue um Dickens ou um Machado de Assis ou algo desse tipo, e esperar que ele vá apreciar a leitura.
    Quanto a idade etária para a leitura, acho que isso vai da cabeça de cada mãe e de cada adolescente. Conheço pessoas de 30 com a maturidade de uma criança e adolescentes mais maduros que muito adulto. Comecei a ler romances eróticos aos 14 ou 15 anos depois de pegar um livro com minha mãe. E por sinal, os li quase na mesma época em que acompanhava Harry Potter.
    Emfim. Você mostrou seus argumentos. Esses são os meus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos jovens pegam filmes pornográficos escondidos, mas isso continua sendo algo inapropriado.

      Excluir
    2. Por que? Por fazê-los conhecer mais sobre o sexo?
      Como eu disse, é questão de maturidade para entender o que se está vendo/lendo.
      Crianças pequenas, por exemplo, não entendem, aí sim, concordo que deve ter controle dos pais e coisa e tal.
      Mas adolescentes... Não vamos ser hipócritas a ponto de esquecer que a idade media da primeira relação sexual esta entre 15 anos (isso se eu não estiver errada e for ainda mais cedo).

      Excluir